Os AMIGOS são ANJOS que, quando não conseguimos CAMINHAR, dão-nos ASAS e ensinam-nos a VOAR. - José Carlos Valério

sábado, 25 de julho de 2015

BOA TARDE, SOIS!


É assim que sou.
E talvez, a parte mais significa dos bons resultados alcançados por quem me procura prendem-se com o facto de eu já ter passado por onde eles/elas estão a passar.
Excelente Sábado.
Fantástico Fim-de-Semana.
Sejam FELIZES Hoje, SEMPRE e cada vez mais.
SORRIO-VOS, ABRAÇANDO-VOS

sexta-feira, 24 de julho de 2015

CUIDADO COM A MEMÒRIA DE SUA CASA...

MUITO BOM E MUITO INTERESSANTE

Por: "Franco Guizzetti
O padrão vibratório de uma casa tem relação direta com a energia e o estado de espírito de seus moradores. Tudo o que pensamos e fazemos, as escolhas, os sentimentos, sejam bons ou ruins, são energias. O resultado reflete nos ambientes, pessoas e situações.
O corpo é nossa primeira morada e nossa casa, sua extensão. É ela que nos acolhe, protege e guarda nossa história. Da mesma forma que limpamos, nutrimos e cuidamos da vibração de nosso corpo, devemos estender esses cuidados e carinhos ao lar. Mais que escolher o imóvel e enfeitá-lo com móveis e objetos - muitas vezes guiados apenas por modismos ou pura praticidade -, a elaboração da atmosfera de um ambiente é importante porque reflete a personalidade de seu dono, dando pistas sobre seus gostos, estilo de vida, história e sonhos.
Há quem acredite que, colocando cristais, sinos de vento, fontes, espelhos, instrumentos do feng shui, é possível atrair bons fluídos e equilíbrio para dentro de casa. Mas, é muito pouco, pois a personalidade de um ambiente vai além. Ela é conseguida dia após dia, não apenas com técnicas, mas com pequenos atos de carinho e com muita energia boa.
Além de atrair bons fluídos para nosso lar, temos todas as condições decriá-los no interior do próprio ambiente. O conjunto de pensamentos, sentimentos, estado de espírito, condições físicas, anseios e intenções dos moradores fica impregnado no ambiente, criando o que se chama de egrégora.
Você, com certeza, já esteve em uma residência ou ambiente onde sentiu um profundo bem-estar e sensação de acolhimento, independe da beleza, luxo ou qualquer outro fator externo. Essa atmosfera gostosa, sem dúvida, era dada principalmente pelo estado de espírito positivo de seus moradores.
Infelizmente, hoje em dia, é muito mais corriqueiro entrarmos em ambientes que nos oprimem ou nos dão a sensação de falta de paz e, às vezes, até de sujeira, mesmo que a casa esteja limpa. A vontade é ir embora rapidamente, ainda que sejamos bem tratados.
O que poucos sabem é que as paredes, objetos e a atmosfera da casa têm memória e registram as energias de todos os acontecimentos e do estado de espírito de seus moradores. Por isso, quando pensar na saúde energética de sua casa, tome a iniciativa básica e vital de impregnar sua atmosfera apenas com bons pensamentos e muita fé. Evite brigas e discussões desnecessárias. Observe seu tom de voz: nada de gritos e formas agressivas de expressão. Não bata portas e tente assumir gestos harmoniosos, cuidando de seus objetos e entes queridos com carinho.
Não pense mal dos outros. Pragas, nem pensar! Selecione muito bem as pessoas que vão frequentar sua casa. Festas, brindes e comemorações alegres são bem-vindas porque trazem alegria e muita energia, mas cuidado com os excessos. Nada de bebedeiras e muito menos uso de drogas, que atraem más energias.
Se você nutre uma mágoa profunda ou mesmo um ódio forte por alguém, procure ajuda para limpar essas
energias densas de seu coração. Lembre-se que sua casa também pode estar contaminada.
Aprenda a fazer escolhas e determine o que quer para sua vida e ambiente onde mora. Alegria, amor, paz, prosperidade, saúde, amizades, beleza já estão bons para começar, não é mesmo?

Reflita sobre como você vive em sua casa, no que pensa, como anda seu humor e reclamações do seu dia-a-dia. Tudo isto interfere no seu astral."

In, Correio de Luz.blogspot.com

Ser Livre e Viver em VERDADE

Por 'pessoa livre' entendo aquela que confia em si mesma, guia-se a si própria, estando seguro/a de que os seus princípios e valores de referência são garantias de Amor e Bem-Estar Incondicionais, tanto para si, como para quem o/a rodeia.
As outras pessoas, as que usam máscaras, que necessitam de regras, que criticam tudo e todos, não passam de seres profunda e intrinsecamente inseguras e frequentemente muito infelizes. Não têm uma verdade, não sabem o que é a verdade... Necessitam das imposições exteriores para se orientarem. Depois apelidam tais imposições de 'maioria', 'normal' ou 'sociedade'...
Para os/as 'mascarados/as' da sociedade, a pessoa livre ofende. As atitudes, as opções, as opiniões, a existência... das pessoas livres, ofendem. E ofendem porque, lá bem no fundo, os/as 'mascarados/as' vêem postas a nu, todas as suas fragilidades. Lá bem no fundo, sabem que não são capazes de serem livres, não conseguem ser livres e têm uma enorme inveja, aliada a uma profunda tristeza e frustração. A suposta racionalidade destes seres mistura tudo isto e transforma do sentimento mais confortável para eles/as: a ofensa. Porque aos olhos da sociedade a quem estão subjugados/as, qualquer expressão de sentimento realmente condicente com as suas realidades emocionais, é reprovável.
Ser uma Pessoa Livre é SER. É não se limitar a existir. É VIVER EM VERDADE.
E apesar de cada um de nós ter um modo individual de se apropriar do conceito de VERDADE - cada um tem a sua VERDADE - a elasticidade deste conceito não é tão alargada que alguma vez permita a duas pessoas distintas, terem duas VERDADES opostas.
EU VIVO EM VERDADE. VIVO A MINHA VERDADE.
Assumo totalmente as minhas ideias, as minhas atitudes, as minhas decisões, as minhas opções, os meus desejos... A MINHA VIDA.
A quem se OFENDER com tudo isto, apenas desejo que este meu texto possa iluminar um pouco as suas consciências no sentido de se encontrarem e confrontarem com aquilo que realmente sentem, no mais profundo do seu íntimo.
A INVEJA, a TRISTEZA e a FRUSTRAÇÃO que estejam subjacentes, resolvem-se bem. Parem de me criticar e de se sentirem ofendidos/as com aquilo que nem sequer vos é dirigido. SEJAM COMO EU. FAÇAM COMO EU. VIVAM EM VERDADE, MAS NA VOSSA VERDADE, naturalmente diferente da minha.
E SEJAM FELIZES.
- José Carlos Valério
Tenham uma Excelente 5.ª Feira.
Sejam FELIZES Hoje, SEMPRE e cada vez mais…
SORRIO-VOS, ABRAÇANDO-VOS

sábado, 9 de agosto de 2014

Mensagens de Luz 27...



«O guerreiro da luz comporta-se como uma criança.

As pessoas ficam chocadas;esqueceram que uma criança precisa de divertir-se, brincar, ser um pouco irreverente, fazer perguntas inconvenientes e imaturas, dizer tolices nas quais nem ela mesma acredita.

E perguntam horrorizadas: “É isto o caminho espiriitual? Ele não tem maturidade!”.

O guerreiro orgulha-se com os comentários. E mantém-se em contacto com Deus, através da sua inocência e alegria, sem perder de vista a sua missão.»

Paulo Coelho, In Manual do Guerreiro da Luz

Mensagens de Luz 26...



Agradeço e dedico este regresso a estas publicações ao meu Grande Amigo Sérgio Pereira.

«O guerreiro da luz comporta-se como uma criança.

As pessoas ficam chocadas;esqueceram que uma criança precisa de divertir-se, brincar, ser um pouco irreverente, fazer perguntas inconvenientes e imaturas, dizer tolices nas quais nem ela mesma acredita.

E perguntam horrorizadas: “É isto o caminho espiriitual? Ele não tem maturidade!”.

O guerreiro orgulha-se com os comentários. E mantém-se em contacto com Deus, através da sua inocência e alegria, sem perder de vista a sua missão»

Paulo Coelho, In Manual do Guerreiro da Luz

sábado, 24 de agosto de 2013

"... Vejo a LUZ..."



«[…]
Vejo a luz.
A luz dá-lhe energia? - perguntei.
É como começar tudo de novo… é um renascimento.
Como é que as pessoas na forma física podem sentir essa energia? Como é que se podem ligar a ela para ficarem recarregados?
Através das mentes. - respondeu suavemente.
Mas como é que atingem esse estado?
Devem encontrar-se num estado absolutamente descontraído. É possível renovar por meio da luz… por meio da luz. É preciso estar absolutamente descontraído para que se deixe de consumir energia, enquanto a nossa energia é renovada. Quando se dorme fica-se renovado. - encontrava-se no seu estado superconsciente, e eu decidi alargar o interrogatório.
Quantas vezes é que renasceu? – perguntei. Foram todas neste ambiente, a Terra, ou também se verificaram noutros locais?
Não. – respondeu. Nem todas foram aqui.
Para que outros planos, para que outros locais é que também vai?
Ainda não terminei o que tenho que fazer aqui. Não posso seguir sem ter experimentado tudo da vida, e ainda não o fiz. Haverá muitas vidas… para realizar todos os acordos e pagar tudo o que é devido.
Mas você está a fazer progressos. – observei.
Fazemos sempre progressos.
Por quantas vidas passou na terra?
Oitenta e seis.
Oitenta e seis?
Sim.
Lembra-se delas todas?
Hei-de lembrar, quando for importante para mim.
[…]»
Brian Weiss, Muitas Vidas Muitos Mestres, pp. 156-157

Comunicação Extrafísica



«[…]
É neste plano que algumas almas têm permissão de se manifestarem às pessoas que ainda se encontram na forma física. É-lhes permitido regressar… apenas se deixaram algum acordo por cumprir. Neste plano é permitida a intercomunicação. Mas os outros planos… é onde se pode usar as capacidades psíquicas e comunicar com as pessoas que se encontram na forma física. Há muitas maneiras de fazer isto. A algumas é concedido o poder da visão e podem mostrar-se às pessoas que ainda se encontram na forma física. Outras têm o poder do movimento e conseguem mover objectos telepaticamente. Só se vai para este plano desde que haja alguma utilidade em estar aí. Se foi deixado algum acordo que não tenha sido realizado, pode optar-se por ir para este plano e comunicar de uma forma qualquer. Mas tudo isso se realiza… para que o acordo possa ser realizado. Se a vida foi abruptamente cerceada, isso poderá ser razão suficiente para que se possa ir para este plano. Há muitas pessoas que escolhem vir para aqui porque têm a possibilidade de ver aqueles que ainda se encontram na forma física e que eram seus íntimos. Mas nem todos optam por comunicar com estes. Para certas pessoas poderá ser demasiado aterrador.
[…]»
Brian Weiss, Muitas Vidas Muitos Mestres, pp. 155-156